Infarmed no Porto: anúncio surpreende indústria farmacêutica e deputados

INFARMED no Porto: anúncio surpreende indústria farmacêutica e deputados - 

O ministro da Saúde rejeitou que a medida fosse uma compensação pelo Porto ter perdido a corrida para sede da Agência Europeia do Medicamento, mas admitiu que era "o reconhecimento de um enorme trabalho da região norte".

Surpresa. Indústria farmacêutica, farmácias, deputados e o próprio INFARMED, ficaram a saber ontem à tarde que o governo tinha decidido mudar para o Porto a sede da autoridade nacional do medicamento. A medida, anunciada um dia depois de a cidade ter sido afastada da corrida à sede da Agência Europeia para o Medicamento (EMA), levantou a questão sobre se se tratava de uma contrapartida pela derrota, mas o ministro da Saúde rejeitou essa ideia.

No entanto, tendo em conta as reações que o DN foi recolhendo durante a tarde desta terça-feira, tudo indica que a decisão não se enquadrou em nenhum planeamento prévio e surgiu como reação a situação da EMA. O próprio presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, afiançou que a medida lhe tinha sido comunicada durante a manhã.

No INFARMED também nada foi previamente avançado pelo governo. Da parte do Conselho Diretivo, presidido pela pediatra Maria do Céu Machado, não houve reação oficial. Mas a Comissão de Trabalhadores tornou público que foram todos apanhados de surpresa. Em declarações ao Observador, Rui Spínola, que lidera esta estrutura, sublinhou que "não é uma decisão técnica, não existe qualquer parecer técnico, caso contrário os funcionários do INFARMED teriam tido conhecimento dele. Logo, é uma decisão estritamente política".

Fonte: Jornal "Diário de Notícias" e autor em 22 de Novembro de 2017