Farmacêutica Roche garante não ter planos para sair de Portugal

Roche Portugal prevê quebra de vendas nos próximos dois anos.

Líder no sector hospitalar em Portugal, a farmacêutica Roche assegura que não tenciona abandonar o mercado português apesar das sucessivas reduções de preço e das incertezas no sector causadas pela política do medicamento e que há seis meses levaram algumas farmacêuticas ameaçar deixar o País. A garantia foi dada pelo ‘chairman' da multinacional suíça, Franz Humer, que em entrevista ao Diário Económico revela ainda que a estrutura em Portugal, que prevê uma quebra do volume de negócios, já está adaptada a um cenário de crise.

"O nosso negócio é ajudar os pacientes, tratar doenças graves, prolongar e melhorar a qualidade de vida, e não nos afastamos disso num país porque este está a passar por um período difícil", explica o ‘chairman' da Roche que no final da década de 70 passou por Portugal enquanto director-geral da Schering Plough.

O desempenho da farmacêutica suíça no mercado nacional não será alheia à decisão de Humer: a Roche ocupou durante o primeiro trimestre o primeiro lugar no ‘ranking' hospitalar em termos de receitas e o sétimo em unidades vendidas, de acordo com a consultora IMS Health. Menos expressivas são as vendas em ambulatório, com a farmacêutica a ocupar o 27º lugar em termos de facturação e a 23º posição na contagem de unidades vendidas

Fontes: Jornal "Económico" e autor em 22 de Maio de 2011