Farmacêuticas perdoam 60 milhões de Euros da dívida do Estado

O Ministério da Saúde está a pagar as dívidas do SNS às farmacêuticas, mas exige descontos que vão render ao Estado 60 milhões de Euros.

O Ministério da Saúde prevê poupar quase 60 milhões de Euros com os descontos feitos pelos fornecedores do Serviço Nacional de Saúde (SNS) em troca do pagamento das dívidas.

Do total dos 1.500 milhões de Euros que o ministério de Paulo Macedo recebeu no Orçamento Rectificativo para pagar parte da dívida do SNS, foram pagos até agora mais de 700 de Euros milhões. No final de Junho o Ministério da Saúde tinha transferido para as contas dos fornecedores, a maioria empresas da indústria farmacêutica, 410 milhões de euros. Em Julho foi paga uma nova tranche, que superou os 300 milhões de Euros , apurou o Diário Económico.

No âmbito do protocolo assinado com a Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica (Apifarma) para o pagamento de dívidas, o Ministério da Saúde contactou 55 empresas credoras e 38 aceitaram negociar as dívidas: 25 já chegaram a acordo e 15 foram assinados.

O objectivo de conseguir pagar os 1.500 milhões até ao final deste mês mantém-se. Ou seja, faltam fechar mais 30 acordos. No final, a poupança estimada será de cerca de 60 milhões de euros, apurou o Diário Económico junto de fonte próxima do processo. Contactado, o Ministério da Saúde não quis comentar.

Fontes: Jornal "Diário Económico" e autor em 10 de Agosto de 2012